quarta-feira, 4 de abril de 2012

Por dentro da Revista

A "Realidade" como já foi dito, tinha uma maneira diferente de montar matérias. Geralmente demorava-se vários meses para ter informações necessárias.
Os jornalistas tinham que ouvir e descobri todos os pontos envolvidos naquela matéria, dessa forma eles acabavam viajando muito e se informando profundamente no assunto.
Os fotógrafos eram ótimos, apesar de usarem “milhões” de rolos de filme – é naquela época ainda era filme – para ter algumas fotos usadas na edição.

A tradicional maneira de escrever a revista – hoje pouquíssimo usado – fazia total diferença para quem lia. Eles conseguiam transmitir sentimentos para os leitores, que se envolviam com a história ali lida. Sempre descrevendo detalhes do lugar onde tinha sido recolhido as informações ou de como foi recolher as informações.
Está maneira na qual estamos falando, hoje só vimos nos livros – quando os autores querem que a gente se sinta dentro da história –.


Na maioria das revistas que tive contato –
aproximadamente 13 exemplares – percebi muita publicidade. Propagandas elaboradas, com fotos e jingles bem interessantes.
Cada matéria de fato tinha mais ou menos umas 4 a 5 páginas, onde se encontrava textos, títulos, entre títulos e fotos. A sobrecapa – capa de trás – geralmente tinha propaganda de cigarro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário